• Aurora – a artista que transforma sentimentos em música

    Conheci Aurora em um vídeo do YouTube. Suas músicas me pareceram um pouco estranhas de início. Afinal, era diferente de tudo o que já havia escutado. Mas com uma segunda chance pude me encantar com as melodias, letras e com o jeito Aurora de ser.

    LER MAIS

  • Festival de Cultura Alternativa Terra Azul – Por que você deve conhecer esse festival

    Quatro pessoas viajando juntas de carro e de forma colaborativa, rumo ao festival Terra Azul em Rio Negrinho, SC.

    Entre conflitos e grandes transformações a percepção do tempo tomou outra forma e descobri que viajar não só cura nossa mente, mas também nossa alma.

    Às vezes nos limitamos a viver em nossa zona de conforto, colocamos obstáculos para realizarmos nossos desejos e sonhos. Mas na verdade o que nos distancia da sensação de conexão com a vida é apenas o medo do desconhecido, das novidades, dos obstáculos e da superação.

    LER MAIS

  • Boas histórias que salvam vidas

    Outro dia li uma história que salvou minha vida.

    Nesse caso, não foi literalmente. Ou seja, sim foi literalmente, porque essa história era um livro (piadinha sem graça, eu sei). Mas quando digo “salvou minha vida” pode ser desde “me ajudou a superar um grande dilema” até “me ajudou a passar o tempo enquanto esperava o ônibus”. Nem todos os problemas têm o mesmo tamanho, mas nossa vida pode ser salva das maneiras mais simples. Tudo depende do tipo de dia que estamos tendo!

    LER MAIS

  • Astralplane lança Orí, o single que irá compor seu novo disco

    A banda baiana Astralplane lançou essa semana seu novo single Orí. Com um novo disco em produção, que se chamará Redevout, com previsão de lançamento para o mês de abril, Orí veio como um tira gosto dessa nova cara que a banda quer dar para seu trabalho daqui para frente. Mas quem curte aquela psicodelia cósmica do seu primeiro disco Pales Tantral ainda vai poder vê-la em algumas músicas desse novo disco. Mas vamos falar mais sobre Orí.

    LER MAIS

  • Outros batuques brasileiros

    De acordo com Antonio Nobrega, a polirritmia africana segue uma “lógica” diferente da ritmia europeia: a primeira teria versos mais longos e aceitaria mais solos do que a segunda. Ao tentar codificar a música polirrítmica de acordo com a lógica “monorítmica”, simplificamos os longos versos e batuques solistas em menores versos sincopados, ou seja, com a tônica no tempo fraco (nos espaços entre tempo e contratempo).

    LER MAIS

  • Psicodália: um dos festivais mais esperados do ano!

    Faltando menos de 3 meses para o melhor festival de Santa Catarina que acontece durante o carnaval, o Psicodália já está deixando muita gente ansiosa. Nessa 20ª edição já temos confirmados algumas atrações musicais, dentre eles: Ney Matogrosso (para minha imensa alegria!!!), Perotá Chingó, Céu, Di Melo + Trombone de Frutas, Metá Metá, Casa das Máquinas, Liniker e os Caramelows, Erasmo Carlos, entre muitos outros grandes músicos. Mas isso são só as atrações musicais, o festival ainda oferece oficinas, cinema, teatro e recreação para as crianças.

    LER MAIS

  • Música instrumental brasileira para te inspirar

    Você já reparou como de uma forma ou de outra somos seres intimamente ligados aos sons? Ouvir música é um ato tão natural quanto respirar ou comer. Através dela damos vazão à expressões muito íntimas, que revelam nossos olhares e sentimentos do mundo.

    Mas, e a música instrumental, você já parou para ouví-la? Quando se opta por esconder as palavras e dar espaço para os sons falarem, uma experiência diferente de música se abre, e a fruição -tão rara nos dias de hoje- se torna possível. Longe dos conceitos das palavras, é possível observar o som como se observa um quadro. No Brasil, as paisagens são tantas, que não poderíamos deixar de ter uma quantidade enorme de grupos assimilando toda essa cultura, transformando-a em música boa, para que possamos viajar de olhos fechados. Confira alguns grupos instrumentais brasileiros e seus discos que nunca tocaram nas rádios.

    LER MAIS

  • Primaveras revolucionárias que mudaram o mundo

    A primavera tem no seu íntimo o símbolo da mudança; assim é representada na mitologia grega, na figura de Clóris, como a potência da natureza que traz vida e renovação quando chega. Nesse período do ano, um novo ciclo se inicia e possibilita que frutos e flores cresçam, transformando a realidade que nos cerca e trazendo a possibilidade de vivermos novos tempos. Tudo aquilo que a natureza comporta é tocado pela potência vital da primavera e, assim, ela deixa sua marca também nas criações humanas, trazendo em sua metáfora, novos horizontes para a sociedade.

    Confira algumas referências feitas à primavera ao longo das criações humanas. O simbolismo que carrega consigo é de tamanha sutileza, que foi usada por diversas vezes, ora para evocar beleza, ora para evocar força e resistência; sempre como um ato revolucionário.

    LER MAIS
  • A prática e benefícios do Kirtan

    Kirtan é um processo milenar no qual trabalhamos nossa espiritualidade por meio do cantar em processo devocional. Esse processo acontece em muitas religiões e práticas de base hindu e é  acompanhado de instrumentos como violões, tablas, mrdangas, entre outros, é uma prática normalmente realizada em grupo e pode ser acompanhado de histórias e dança.

    LER MAIS

  • Projeto Playing For Change – conectando culturas através da música

    “Não importa quem você é ou de onde você vem, estamos todos unidos através da música”.

    A Fundação Playing For Change, criada em 2007, é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é permitir uma mudança positiva por meio da música e da educação artística, apoiando escolas e programas que são criados e operados pela comunidade local para possibilitar, a partir da música, a conexão de comunidades ao redor do mundo. Atualmente, a fundação tem nove programas, com mais de 1.000 estudantes e 15 mil vidas impactadas, em países de baixo desenvolvimento sócio econômico como Gana, Mali, Ruanda, África do Sul, Nepal e Tailândia.

    LER MAIS