• Cicloentrevistas: Casal larga o emprego e viaja pelo mundo de bicicleta

    Quem curte viajar de bicicleta ou simplesmente montar na magrela para um passeio domingo a tarde, não pode deixar de conhecer o casal de brasilienses Julie e Thiago, que compõe o projeto “Diocá na Estrada“. De bike, eles ja atravessaram diversos países, e suas experiências agora fazem parte da série de entrevistas que o Jardim do Mundo produziu para  desmistificar as viagens de bicicletas, muitas vezes encaradas como maluquice ou mesmo um desafio insuperável. É possível fazer da bicicleta uma realidade no dia-a-dia das cidades e do país, basta você pedalar também.

    LER MAIS

  • Sementes da liberdade: filme

    Sementes de Liberdade conta a história de sementes desde suas raízes no coração de sistemas agrícolas tradicionais, ricos em diversidade em todo o mundo, até a sua transformação em um matéria prima poderosa, usada para monopolizar o sistema alimentar global.

    LER MAIS

  • Insipire-se com histórias de pessoas que fazem o que amam

    Trabalhar 8 horas por dia em um escritório, bater cartão, enfrentar o trânsito, cumprir metas, ter um chefe, ou dois, ou três. O preço do salário é alto. Muita gente vive muito bem neste estilo de vida, mas outras pessoas não conseguem se adaptar à caixa do mercado, e colocam na balança a estabilidade e a aventura, a grana fixa e a sazonalidade, a promoção de cargos e a liberdade autônoma.

    LER MAIS

  • Dicas para cuidar do seu jardim no inverno

    Hoje ao acordar verifiquei a temperatura e estava 0.8°. Muito frio! Certamente não é o caso de todas as regiões do Brasil, mas pra quem mora no Sul sabe, que nessa época do ano o frio bate à porta, os verdes ficam brancos da geada, o vento é de cortar a pele e não há sol e roupa suficientes que aqueça o inverno que se instala lá fora. É nessas horas que começamos a pensar nas nossas plantinhas queridas que estão no nosso jardim, enfrentando esse friozão e sem uma roupinha de lã para esquentá-las.

    LER MAIS

  • Mandalas – De objetos de decoração à hortas

    Mandala é uma palavra sânscrita que significa círculo ou círculo mágico. Em várias épocas e culturas a mandala foi usada como expressão científica, religiosa e artística. Os primeiros registros sobre povos que criavam estes objetos vem do Tibet. Temos alguns tipos de mandalas: com areia, fios de lã, pintadas, desenhadas, entre outras. E, além dessas, que são objetos de decoração ou para usos espirituais e terapêuticos, a permacultura levou a mandala para a horta. Isso surgiu com Bill Mollisson, em 1970, o ambientalista australiano, conhecido, aqui no Jardim do Mundo, por suas contribuições na permacultura, começou a criar hortas em forma de mandala.

    LER MAIS

  • Já pensou em plantar sua própria mobília?

    O desmatamento é dos maiores problemas que o mundo atual enfrenta. Vermos desaparecer os espaços verdes em detrimento de prioridades egoístas, é a prova de que o homem não está a caminhar na direção correta. Mas quando conhecemos projetos inteligentes e sustentáveis, cresce uma nova esperança na humanidade. Como este, onde a mobília nasce numa plantação de quintal.

    LER MAIS

  • Introdução a bioconstrução em um pequeno vídeo-curso

    A bioconstrução, técnica que consiste na reunião de conhecimentos de construção milenares com técnicas modernas de engenharia e utilização de materiais e resíduos, funde-se e evolui em conjunto com uma ciência cada dia mais popular: a permacultura.

    Em um misto de ciências exatas e multidisciplinares com a experimentação e a pesquisa de campo como principais nortes, a permacultura é uma ferramenta criativa para o dia a dia de todos e a bioconstrução, uma realidade cada vez mais palpável. Não é a toa que é um dos assuntos mais abordado aqui no Jardim do Mundo. Mas conforme avançamos nesta ciência, mais duvidas surgem e mais complexa ela se torna.

    LER MAIS

  • Como construir casinhas para crianças com elementos naturais

    Quando éramos jovens, o lado de fora não era apenas a melhor opção. Ainda anos longe de computadores e redes sociais, tivemos bolas de gude, carros de brinquedo e aventuras. Criar um espaço numa floresta desconhecida era como uma nova aventura de, pelo menos, o dia inteiro. Talvez dois, se tivéssemos sorte.

    LER MAIS

  • E essa planta…dá para comer?!

    *Por Fabiola Peron

    Andando pelas calçadas do bairro onde moro comecei a notar a variedade de plantas que brotam de minúsculos vãos e me lembrei que muitas delas são comestíveis e são muito saudáveis. Incrivelmente, elas são tratadas como pragas e quem acaba perdendo com isso somos nós.

    LER MAIS