• House Sitting: viaje barato cuidando da casa dos outros

    Se você estiver familiarizado com os filmes “Esqueceram de Mim”, entenderá que, no momento em que uma casa ficar sozinha, pessoas de má fé podem tentar invadir e roubá-la. E nem todos têm alguém como o Macaulay Culkin, para proteger a casa. É aí que entra o projeto House Sitting. Em troca de acomodações gratuitas, os proprietários entregam suas chaves para as pessoas dispostas a cuidar da sua casa enquanto estão longe.

    Essa é uma ótima maneira de ter um feriado barato, ou tentar viver em algum lugar diferente. Você tem a chance de ficar em algumas casas maravilhosas que, normalmente, não poderia pagar.

    LER MAIS

  • Bioconstrução em 9 simples passos

    Somos fãs de bioconstruções e sempre que encontramos propostas alternativas para a concepção e conceitualização de casas, fazemos muita questão de divulgar, como um exemplo e uma possibilidade, pois sabemos que significam mais que simples edificações.

    Esta pequena bioconstrução em cob foi construída por aprendizes da Sun Dog school of natural building no norte da Califórnia, EUA.

    Você notará na imagem 9 que a janela de madeira se encaixa a curva da parede perfeitamente. Esta não foi apenas uma jogada de sorte, a forma final da casa e das paredes foi totalmente determinada pelos materiais disponíveis no local, o que tornou o valor total do investimento tão baixo quanto 6 mil reais e o resultado final um belo exemplo de utilização de recursos e espaço em uma linda construção natural.

    LER MAIS

  • 10 maneiras de utilizar cinzas na casa e no Jardim

    Cenas de chamas consumindo o que, normalmente, seria uma floresta serena são sempre perturbadoras de se assistir. Por serem os incêndios uma força tão destrutiva para o meio ambiente, liberando milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera e com o potencial para danificar propriedades e destruir vidas humanas, muitas vezes o  fogo, na natureza, é considerado uma coisa ruim em todos os sentidos.

    Mas incêndios naturais, como todas as coisas na natureza, também têm um propósito ecológico e fazem parte de um esquema maior que servir a um propósito humano.

    LER MAIS

  • Como recuperar uma planta desidratada

    Aprenda como recuperar uma planta desidratada

    Poucas coisas trazem tanta vida para um ambiente quanto as plantas. Para quem está começando a cultivar ou para quem voltando de uma longa viagem, é comum encontrar as plantas secas e com uma aparência ruim.

    Assim como os seres humanos, as plantas passam por momentos conturbados, então não vamos nos desesperar.

    Se as folhas estão murchas ou secas, talvez, seja de falta d’água, nem sempre é fácil verificar com precisão qual é o problema das nossas plantinhas. Algumas possibilidades são: excesso ou falta de sol, clima seco ou pobreza de nutrientes no solo.

    |Acompanhe o Jardim do Mundo no Instagram|

    Com as dicas abaixo é possível recuperar e fortalecer a saúde de uma planta desidratada.

    Apare as folhas mortas

    Com uma tesoura de poda, apare todas as folhas mortas de sua planta de modo cuidadoso. Caso não tenha a tesoura específica, use uma tesoura normal, sem ponta, ou um alicate. Tome cuidado com os brotos. Mesmo que eles tenham um aspecto estranho, possuem grande potencial de crescimento.

    Apare os galhos e caules mortos

    Quando for cortar os galhos, comece pelo topo e apare uma pequena quantidade por vez. Para cada pedaço de galho cortado, verifique a cor do centro do caule. Às vezes, o caule parece morto, mas você encontrará a coloração esverdeada no centro dele, à medida em que o corte for se aproximando das raízes. Quando isso ocorrer, pare de cortar. Após algum tempos, galhos novos começam a crescer sobre os antigos.

    Troque a sua planta de vaso

    Muitas vezes, ao plantarmos uma semente, utilizamos vasos pequenos. Mas se a planta crescer muito, é necessário aumentar também o tamanho do vaso para que haja mais espaço para o desenvolvimento do organismo. É possível saber a hora em que o replantio é necessário atentando para as raízes. Quando elas começarem a ficar visíveis e “saírem” do vaso (como cabelinhos), troque o recipiente por um maior e que possua furos na parte inferior para ajudar na drenagem. Pesquise sobre a sua espécie antes e veja se existe algum requisito especial nesse processo – e lembre que talvez seja preciso colocar mais terra.

    Cheque os níveis de umidade da sua casa

    A maioria das espécies gosta de um ambiente úmido, afinal elas vivem em florestas e bosques (com exceção de cactos ou suculentas). Se você perceber que o solo em que sua planta está colocada fica continuamente seco, mesmo regando diariamente, significa que os níveis de umidade de sua casa podem ser muito baixos. Para solucionar esse problema, borrife água nas folhas das plantas, use um umidificador de ar ou coloque muitas plantas com as mesmas necessidades de água juntas – isso faz com que o ambiente em que elas estão fique mais úmido.

    Controle a luz solar

    Se a sua planta tem folhas queimadas e amareladas (sinais de muita exposição ao sol) ou pouca ou nenhuma floração (sinais de pouco sol), você deve alterar a quantidade de luz que ela recebe no dia a dia. Teste colocá-la nas proximidades de diferentes janelas se o local atual não estiver fazendo sua planta feliz. Fique atento se você morar em uma região com muita incidência de luz solar.

    Adicione nutrientes a planta desidratada

    Assim como as pessoas, as plantas também precisam de nutrientes para se manterem saudáveis. A borra do café, cascas de ovos e casca de banana são muito eficiente para a nutrição de suas plantas, desde que misturada com terra e outros fertilizantes naturais. O produto da compostagem doméstica é excelente! Basta salpicar na terra da planta. Se o vaso for pequeno, retire um pouco de terra e coloque o composto.

     Para plantas totalmente secas, as dicas são:

    LER MAIS