A evolução do Pensamento frente a Percepção da Natureza

A relação do homem com o meio-ambiente é tema do livro: “A evolução do Pensamento frente a Percepção da Natureza”.

É chegado o momento em que o homem assumirá a responsabilidade pela miríade de conceitos acerca do mundo natural. São estes conceitos que se apresentam para humanidade como a chave do conhecimento universal e feliz daquele que for capaz de absorver e, muito mais que apenas isso, também capaz de levar adiante, modificar, ou mesmo deixar de lado.

Atualmente enfrentamos uma crise ambiental que se deve muito a distância criada entre a humanidade e a natureza ou a própria natureza do homem, e o conhecimento ocidental foi capaz de refutar qualquer ideia que ameaçasse seus paradigmas de ouro. O sistema conceitual não quer que você deixe seu emprego, não quer que você recicle nem costure um remendo, não quer você as voltas em sua horta, ou a correr atrás de seus sonhos mais sinceros e a natureza da mesma forma com que nós somos é amputada e definha sob escombros de poluição.
O que fazemos neste mundo? Como cuidaremos dele?

05

A evolução do pensamento frente à percepção da natureza revive e discute alguns dos conceitos filosóficos mais evidentes na cultura ocidental e, nem por isso, menos intrigantes ou complexos e que são utilizados constantemente no nosso cotidiano para basear ideias, projetos e perspectivas. São, acima de tudo, paradigmas da natureza que incitam duas reações-chave na relação de cada pessoa para com o meio ambiente imediatamente próximo: algo a ser admirado ou um objeto a ser capitalizado.

“Talvez as próprias leis da natureza tenham levado o homem a estabelecer a
realidade atual, mas são essas mesmas leis que agora exigem do Homem uma
revolução no seu modo de viver (…)” (p. 83).

Através de uma breve abordagem histórica e uma retórica bem posicionada, o livro convida você a desfrutar e aguçar o censo crítico ao revisitar conceitos que serão ou não abordados aqui, mas estarão presentes durante a leitura através da memória do leitor e suas experiências pessoais.

Fruto de um projeto acadêmico pouco ortodoxo, esta obra revela a ocasião para tratar de uma temática timidamente explorada ao lançar luzes sobre um assunto brevemente delimitado, tanto cientificamente como metafisicamente, atendendo a uma demanda social e acadêmica cada vez mais envolvida com questões de cunho ambiental, comercial e político. De maneira sucinta ela tenta abordar os paradigmas mais próximos da cultura ocidental que, de alguma maneira, definem as respostas da sociedade e do homem singular ao mundo natural.

Sobre o Autor: Emiliano Utermohl de Queiroz ou Emiliano Roadwalker é biólogo, escritor, compositor e errante, idealizador e autor desta obra, assim como de poesias, notas e artigos, publicados em meio digital ou impresso. Atualmente reside em Portugal, onde é cronista e cocriador do projeto Jardim do Mundo(.com).

Você pode comprar o livro clicando aqui ou aqui e uma boa leitura.

A vida é um acontecimento extraordinário para ser passado sem um propósito, aqui queremos inspirar a mudança, a conexão com os ciclos da natureza, o resgate dos saberes ancestrais e manuais. Vamos juntos por esse caminho descobrindo que tudo que precisamos já está em nós mesmos.

www.jardimdomundo.com

8 opiniões sobre “A evolução do Pensamento frente a Percepção da Natureza

  • Reply Ana Paula 7 novembro, 2013 at 22:23

    quero e vou fazer parte desse mundo…..

  • Reply Nil 8 novembro, 2013 at 0:28

    Sou responsável, pelo meu lixo, por ele não ser gerado, ser recriado ou reutilizado. Sou responsável pela multiplicação de ideias e formas de preservar o nosso jardim, o jardim interno que reflete o externo. É hora de unir versos!

  • Reply isabel verardi 8 novembro, 2013 at 2:15

    Natureza, homem, meio ambiente, cultura ocidental, reflexão.
    Adoraria ler o livro.

  • Reply Bia Gneiding 8 novembro, 2013 at 13:25

    A transformação do mundo só poderá ocorrer a partir do poder de observação de si, e com isso mudar a postura, a conduta e as atitudes frente a si mesmo e ao mundo que nos cerca… Este é um processo lento, mas iniciático… um caminho sem volta. Na condição de bióloga gostaria de “ouvir os pensamentos” colocados neste livro, pois neste exato momento estou sendo um agente modificador da minha realidade… Deixando o rotineiro de lado e abrindo espaço para o novo. Abrindo mão do socialmente correto para desfrutar um pouco mais da vida, perceber novas cores, experimentar novos sabores, conhecer novos caminhos, ampliar os horizontes. E saibam, como já disse antes, que vocês foram de muitas formas fonte de inspiração e um exemplo de coragem a ser seguido. 😉

  • Reply ana 8 novembro, 2013 at 16:47

    Homem, meio ambiente, cultura ocidental, reflexão! Ah, a natureza, de onde vim e pra onde quero sempre estar. Gostaria de ter o gostinho de ler cada palavra desse livro para que com cada suspiro eu possa absorver o que ele transmite! Conhecimento é sempre bem vindo, ainda mais sobre nossa mãe gaia! Se meu for, após meu estudo, com certeza pra frente irei passar! positividade ahooo! luzzz

  • Reply Maria Amélia santiago do Amaral 8 novembro, 2013 at 20:57

    Amo tudo do Jardim do Mundo!!!!!!!

  • Reply Maria Amélia santiago do Amaral 8 novembro, 2013 at 20:59

    Amo tudo do Jardim do Mundo!!!!-

  • Reply Mariana Saker 9 novembro, 2013 at 0:11

    Gosto muito de estudar sobre a permacultura e acredito que este livro irá contribuir muito para com meus estudos, além de me ajudar a resistir e optar por alternativas diante deste atual sistema econômico cada vez mais nocivo à vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido Apenas Print Screen disponivel