Casal desiste da vida na cidade grande para viver no campo

casal autossuficiente

Casal  comparte sua rotina longe da metrópole

Mergulhada no fundo de um vale, aquecidos pelas paredes de um velho celeiro, estavam a nossa espera. Nossos anfitriões, um casal autossuficiente. As fotos que você verá abaixo foram testemunhas da história de duas pessoas que largaram a vida na cidade para encontrar a liberdade na auto-suficiência.

Havíamos conhecido esse tal casal em um dos muitos encontros que acontecem em Portugal e que tivemos oportunidade de participar. Se tratam de workshops que falam sobre economia alternativa, práticas permaculturais e vivências, organizados em forma de eventos de fim-se-semana. Os dois estavam lá não como experts, algo que hoje eles se tornaram. Mas lá estavam coletando informações diversas para aplicarem em seus planos de vida, no desejo de serem tão autônomos quanto possível nas terrinhas que haviam. Fazia pouco tempo que estavam adquirido experiência e tinham muita vontade de mudar.

1

Emil, Sara e o antigo celeiro

Sara, uma italiana e webdesigner. Emil, um sueco, trabalhador industrial que cresceu no interior.

Ambos, na faixa dos 30 anos, se conheceram e decidiram juntos deixar as carreiras e a corrida pela ascensão social. Mudaram seus planos para embarcar em uma viagem de bicicleta pela Europa. Partiram da Noruega, país onde viviam e uma das regiões com o maior IDH do planeta.

Difícil imaginar deixar o conforto de um país desenvolvido, mesmo quando se vive artificialmente dentro dele? Não para eles…

Subíamos uma íngreme encosta quando avistamos, a nossa direita, a escalar a montanha como nós, uma enorme lua, quase cheia, mas já grande o suficiente para ser nossa guia naquela noite calma e bucólica a caminho da Cherry Pound Quinta, o endereço dos nossos amigos e personagens da história que, hoje e em primeira mão, o Jardim do Mundo trás para você.

2

2

Conhecendo o lar de um casal autossuficiente

Uma estrada quase intransponível nos forçou a deixar nossa casa sobre rodas no trecho de estrada ainda viável, a aproximadamente 4 ou 5 quilômetros da casa onde Sara e Emil viviam. O lugar: Uma propriedade rural secular, cheia de casas de pedra em ruínas. Elas foram construídas em um terreno difícil que, aos poucos, esta sendo transformada em um autêntico projeto de vida pelas mãos dos dois  e, claro, outras muitas mãos amigas.

Durante essa viagem de bicicleta com destino a Portugal, aprenderam muitas coisas sobre a vida no campo participando do dia-a-dia de fazendas biológicas, através do wwoofing. No caminho foram ficando mais tempo aqui e alí quando, finalmente, alcançaram Portugal. Em Portugal encontraram também uma estrela ascendente rumo a uma utopia. Apesar de sua crise financeira, no cosmos de movimentos sustentáveis espalhados pelo mundo, Portugal tem um lugar de destaque. Naturalmente este foi alcançado pela própria força  das ocasiões adversas que enfrenta.

[Clique aqui e saiba como  você pode viajar de maneira sustentável gastando pouco]

A crise em Portugal forçou a baixa dos preços dos imóveis (que já eram os mais baixos da Europa ocidental). Isso fez florescer pequenos sítios promovendo ou simplesmente aplicando a permacultura e a sustentabilidade em seus trabalhos diários. Eles queriam provar que um estilo de vida alternativo é possível para todos e em qualquer lugar. Foi disso que Sara e Emil haviam ouvido falar durante sua viagem de bicicleta. Juntando todo dinheiro que conseguiram, compraram um pequeno pedaço de terra próximo a Serra da Estrela, se lançando nessa nova jornada.

O que os dois fazem talvez não possa ser classificado exatamente como um projeto permacultural, ou um empreendimento sustentável. Sim inclina-se mais ao grau de aventura a que se lançam os apaixonados, ávidos por provar do mundo real.

1

Um lugar para deixar sementes

Tal como nós, Emil e Sara procuram um lugar pra deixar suas semente e ver amadurecer os frutos. Eles estavam literalmente conflitando com o paradigma urbano, aquele que rende não muito mais que papéis, burocracia e, por vezes, o isolamento.

Longe da cidade grande, onde tudo deve seguir um padrão, um velho celeiro foi revitalizado. Logo era transformado em uma casa provisória. E que casa! Todas as edificações que revitalizaram foram feitas graças a abundância de materiais que a região lhes fornece. Madeira, pedras, barro são seus materiais prediletos contando com a força de uma velha camioneta para ir a cidade comprar, vender ou trocar produtos e a companhia dos seus animais e alguns vizinhos e amigos que sempre aparecem para aquele dedo de proza. E a estrada de acesso?! Impraticável; melhor mesmo é caminhar.

[Aprenda a construir uma casa sustentável passo-a-passo]

Próximo uns 100 metros dessa linda e curiosa morada repousava  velhas pedras de uma antiga casa em ruínas que hoje esta sendo reedificada. Mal podemos esperar para ver o resultado, certo?!

01
Com algum tempo de trabalho eles já tem uma pequena criação de peixes. Também alguns gansos e não falta espaço e ideias para os projetos que o lugar desperta. Tudo isso contando com muito pouco ou nenhum dinheiro. Esse algo que hoje em dia já não faz parte da realidade do casal.

02

02a

02b

02c

02d

Muito do que comem é fruto da vegetação natural desse inóspito lugar. Aí as temperaturas anuais variam do ardente verão de 35 graus até um gelado inverno de -10 graus. Castanhas, cogumelos e toda sorte de produtos comestíveis podem ser encontrados em uma hora de caminhada pelos campos. É algo carregado de energia e significado, que só se compreende pelo olfato, pelo tato e no silêncio de uma noite sem vento como aquela que abrigava nossa caminhada noturna. Um único pensamento nos acompanhava naquele momento, o de fazer também nossas vidas tão cheia de significados como aqueles que vivemos em uma conversa tranquila e um jantar regado ao vinho da região.

[Guia básico de agricultura Biológica]

Quando já bocejávamos, preguiçosamente próximo ao fogo, que já se consumia em brasas, e ríamos satisfeitos de qualquer coisa, descobrimos algo. Era que logo já não seriam mais apenas um casal na solidão das montanhas que os rodeavam. Em poucos meses formariam uma família completa com a chegada de Ema.

Essa menina nasceu em uma manhã de primavera, em uma tenda branca nas profundezas daquele vale. Ela se tornou o rebento que levará adiante a experiência que você acaba de testemunhar.

1a

1b

1c

E a velha casa em ruínas já não é o lar de dois aventureiros, marinheiros de primeira viagem. Será agora a casa de uma família, assim como um grande exemplo de vida e sustentabilidade para todos nós.

Veja em fotos como foi o início dessa aventura até aqui:

1

2

3

4

1

3

4

5

6

8

3
4
5
6
7
10
1
2
4
6
8
7
5
10

9
11
12
14
20
17
16
21

Fotos: Sara & Emil ( Cherry Pond Quinta) – Reprodução Proibida.

A vida é um acontecimento extraordinário para ser passado sem um propósito, aqui queremos inspirar a mudança, a conexão com os ciclos da natureza, o resgate dos saberes ancestrais e manuais. Vamos juntos por esse caminho descobrindo que tudo que precisamos já está em nós mesmos.

jardimdomundo.com

20 opiniões sobre “Casal desiste da vida na cidade grande para viver no campo

  • Reply Francisco Nobre 24 março, 2015 at 18:14

    Parabéns pelos trabalhos publicados.

  • Reply amelia Jaremko 24 março, 2015 at 19:12

    Wow….estao a viver a vida que tanto desejei sempre…..o que realizei durante uma visita a velha aldeia dos meus avos…..deitada sobre uma pedra ouvindo o silencio senti que eles deixaram o paraiso em troca de coisas que brilhavam….mas as quais nao tem valor nenhum…isto sim, e viver….

  • Reply Dinara castilhos 24 março, 2015 at 20:28

    Parabéns pela bela forma de seus trabalhos. Parabéns pela jornada!!

  • Reply débora gomes 24 março, 2015 at 20:47

    que lindo
    muito mágico
    coragem sempre

  • Reply Siomara Oliveira Savasini 25 março, 2015 at 7:33

    Parabéns pelo projeto e trabalhos publicados.

  • Reply Adriano Santiago 25 março, 2015 at 16:14

    CARA… fantástico!
    Meu sonho de vida … e me alegro ainda mais em ver que outras pessoas sonham com uma forma mais leve e pura de se viver!

  • Reply ANA 29 março, 2015 at 22:35

    DEMAIS!!!

  • Reply celeste 31 março, 2015 at 11:23

    Quero parabenizar por trabalho tão excelente,
    A vida no campo é maravilhosa.

  • Reply Anderson 1 abril, 2015 at 10:09

    … cada vez a vontade de largar tudo e viver sozinho no meio do nada, livre, me persegue mais e mais … quem sabe, um dia

    • Reply Jardim do Mundo 1 abril, 2015 at 17:38

      Obrigado pelo contato meu amigo Anderson, você tem um cantinho seu por aí te esperando para trabalhar… =)

    • Reply Jakeyllyne 1 março, 2016 at 15:10

      E a melhor coisa que voçê pode fazer para viver melhor….

  • Reply Eliane Cristina Freitas Sisconetto 2 abril, 2015 at 14:13

    Sonho de vida de todos nós,mas nos falta capacidade e coragem,parabéns.

  • Reply Edineia Hoffmann 5 abril, 2015 at 18:19

    Que história linda! Obrigada Jardim do mundo por compartilhar suas aventuras e trazer histórias tão bonitas como a de Emil e Sara. Abracos

  • Reply Marcio Pacheco 6 abril, 2015 at 11:16

    Meu coração palpita quando leio essas historias. Into to the wild. Parabéns pelos posts.

  • Reply Flavio Pinheiro 7 abril, 2015 at 8:07

    Que vida saudável! Que Deus continue abençoando Sara, Emil e sua prole. Certamente estão mais próximos do Criador e com muita saúde. Parabéns ao casal pela corajosa decisão.

  • Reply GERSON RODRIGUES COUTO 22 abril, 2015 at 11:17

    JE PARLAIT FRANCAIS E PORTUGUAIS , ESPANHOL ITALIANO ,
    MERCI BEAUCOUP POUR TOUS …
    ON VÁ CHANGES DES INFORMATION , OK?
    D’ACCORD?
    MUITO OBRIGADO , MERCI , GRAZIE MILLE
    GERSON RODRIGUES COUTO ( FACEBOOK = OK?)

  • Reply Gilmar Leite 16 maio, 2015 at 10:49

    Achei fantástico esta matéria, sou apaixonado pela vida natural e autosustentada, quero muito um dia poder fazer a mesma coisa.

  • Reply Nauber 3 abril, 2016 at 1:50

    Cara, simplesmente fantástica essa sua coragem. Esta fazendo aquilo que tenho vontade de fazer, porém, me falta a coragem. Parabéns. Nauber do Brasil.

  • Reply Silvia 4 maio, 2016 at 0:13

    Amei a reportagem ! Comecei a ler e então o coração começou a bater mais forte!!!! Saindo da patologia da noroeste que estamos vivendo…. Já vivi está experiencia por 6 meses…. Foi pouco tempo…. mas o suficiente para querer voltar a este forma de vida de simplicidade voluntária …..parabéns !

  • Reply Jacqueline 11 maio, 2016 at 23:20

    Gratidão por compartilhar está belíssima e inspiradora história. Parabéns!!!